Dicas práticas para sentir menos a pressão dos padrões de beleza

Dicas práticas para sentir menos a pressão dos padrões de beleza

O que é belo para você? Você já parou para se questionar se realmente aprova os padrões de beleza na sociedade?

 

O mito da beleza

Há algumas décadas, uma mulher considerada bonita era aquela que esbanjava curvas.

 

Em 1954, Martha Rocha ganhou a faixa da primeira Miss Brasil com um corpo curvilíneo.

 

Hoje, quando se fala em padrões de beleza na sociedade, as referências são as blogueiras fitness e modelos super magras.

 

Só que cada um de nós tem um metabolismo, formato de corpo, genética, rotina e necessidades biológicas distintas.

 

O que cada um precisa é encontrar o seu peso saudável, que não é necessariamente o peso das capas de revista.

Liberte-se dos padrões de beleza

Vivemos sendo bombardeados o tempo todo pelos padrões de beleza e por ideias de que podemos alcançá-los com alguns procedimentos estéticos e mudanças de hábito.

 

Pensando nisso, preparamos algumas dicas para te ajudar a sentir menos a pressão dos padrões de beleza. Já anota aí!

 

  1. Preste atenção aos conteúdos que anda consumindo

 

Sabe aquela atriz, sem nenhuma espinha e com todos os fios de cabelo no lugar, ou aquela influencer sarada que te faz pensar imediatamente em começar uma dieta e se matricular na academia?

 

Se, em algum momento, você já ficou triste depois de assisti-las, anote essas dicas de ouro:

 

  • Tire imediatamente um tempinho do seu dia e dê uma olhada nas pessoas que você segue nas redes sociais e quais te causam sentimentos negativos;

 

  • Deixe de seguir todo mundo que ficou nessa peneira, que de alguma forma te deixa pra baixo ou te faz questionar sua beleza e seu potencial;

 

  • Pense duas vezes antes de assistir filmes e séries que ridicularizam pessoas com corpos fora do padrão;

 

  • Não compartilhe conteúdos que possam servir de gatilho para alguém e crie uma bolha somente de conteúdos agregadores.

 

  1. Se possível, faça terapia

Ao contrário do que muitos pensam, a ajuda psicológica e terapêutica não é só para quem tem alguma questão de saúde mental.

 

A terapia ajuda no autoconhecimento, e essa é a principal ferramenta para você desenvolver ou recuperar sua autoestima.

 

Quando você conhece profundamente quem você é, você aprende a impor limites, a selecionar melhor com quem se relaciona e a identificar o que te faz bem.

 

Ter ajuda de um profissional também pode te mostrar o caminho para ouvir mais a sua intuição e para questionar conceitos, como é o caso dos padrões de beleza.

 

  1. Procure desenvolver sua autoestima

É natural ter problemas de autoestima se você cresceu aprendendo que o seu corpo é completamente diferente do corpo que é considerado bonito.

 

E também é natural enxergarmos a autoestima como algo ligado à aparência.

 

Se o seu caminho em busca pela autoestima está ligado ao emagrecimento, usar o cabelo que está na moda e vestir as roupas que são tendência, é melhor repensar o que é a autoestima.

 

Autoestima é estar bem com quem você é, é se amar acima de qualquer coisa, sem sofrimento, sem culpa e sem comparações.

 

  1. Saiba aceitar elogios

Sabe quando alguém fala que seu cabelo está bonito e você fica super sem graça, sem saber como reagir a esse elogio? Isso tem muito a ver com autoestima e com a percepção que temos de nós mesmos.

 

Esteja consciente toda vez que alguém te elogiar e tente responder apenas com um obrigada (o) honesto e empolgado!

 

E lembre-se sempre que, muitas vezes, as pessoas são mais gentis com a gente do que nós com nós mesmos.

 

  1. Aprenda a não se comparar

Mesmo se todas as pessoas do mundo fizessem a mesma dieta, se exercitassem da mesma forma, tivessem o mesmo corte de cabelo e se maquiassem do mesmo jeito, ainda assim seríamos todos diferentes.

 

O exercício da comparação é inevitável, mas ter consciência de que isso é problemático já é um primeiro passo.

 

Muitas questões podem influenciar na aparência de uma pessoa, e muitos desses fatores estão completamente fora do seu controle.

 

Já pensou o quão chato seria se todos nós fossemos iguais? Somos seres únicos e isso é incrível!

 

  1. Afaste-se de pessoas tóxicas

Preste atenção na sua energia quando está perto das pessoas e nos seus sentimentos.

 

Você não precisa cortar laços para sempre, caso isso não seja possível, mas você pode evitar encontrá-las com tanta frequência.

 

Outra opção válida é se impor quando se deparar com comentários que não te fazem bem.

 

Vale a pena prestar atenção nas suas emoções nesses momentos.

 

  1. Entenda de onde vêm os padrões de beleza

Os padrões de beleza não nasceram do nada, como um passe de mágica.

 

Ao longo do tempo, nos ensinaram o que era considerado bonito e o que era considerado feio.

 

Não é por acaso que, para alcançar minimamente os padrões de beleza, você precisa gastar dinheiro.

 

Para ter uma barriga tanquinho, você tem alguns caminhos, mas a maioria deles envolvem procedimentos estéticos caríssimos e até mesmo perigosos.

 

Para ter um cabelo de capa de revista, você precisa passar horas no salão e depois mais horas em casa cuidando dele, e tudo isso gastando o seu valioso e suado dinheiro.

 

Uma pessoa que se liberta dos padrões de beleza é um prejuízo financeiro para grandes corporações.

 

“Então preciso parar de usar produtinhos de skincare e nunca mais fazer um procedimento estético?

 

Claro que não! A questão está justamente em ter uma relação mais saudável com esse universo e não se render a tudo que tentam te vender para se encaixar em um padrão de beleza inalcançável e perigoso.

 

E aí, bora colocar essas dicas em prática? Lembrando que esse é um processo e você não vai se livrar dessas pressões da noite para o dia, mas dar o primeiro passo é fundamental. Boa sorte!

 

Gostou das dicas e se compromete a colocá-las em prática?

 

Então lembre-se que isso é um processo e você não vai se livrar dessas pressões da noite para o dia, mas dar o primeiro passo é fundamental.

 

Boa sorte na sua jornada, e conte sempre com a equipe Ana Hickmann Skincare!

 

 

Palavras-chave: beleza, padrões, autoestima.