5 dicas para amar sua pele do jeitinho que ela é

5 dicas para amar sua pele do jeitinho que ela é

Conheça o movimento que incentiva a autoaceitação e o autocuidado com a pele

 

Você já se pegou olhando a própria pele no espelho, procurando por “defeitos” e se frustrando por não ter a “pele perfeita”? Se a resposta para essa pergunta foi “sim”, esse artigo é para você.

 

Em meio a padrões de beleza e estereótipos, é comum que tenhamos expectativas irreais do que seria uma pele ideal.

 

Seja através de propagandas ou fotos do Instagram (especialmente após o surgimento dos filtros), somos expostas todos os dias a idealizações de beleza - na maioria das vezes, completamente distantes da realidade, inatingíveis.

 

É nesse contexto que movimentos de beleza natural e aceitação surgem e mostram sua importância.

 

É o caso do Skin Positivity (em tradução livre, “pele positiva”), um movimento que fala sobre aceitação da pele real - seja ela com acne, rosácea, melasma, ou qualquer outra condição.

 

O movimento, em forma da #skinpositivity (com mais de 213 mil publicações), tomou conta de redes como o Instagram, incentivando pessoas a mostrar suas peles.

 

A intenção, no entanto, não é romantizar essas condições, mas naturalizá-las, buscando desconstruir o preconceito e a consequente baixa autoestima de quem tem uma pele fora do padrão.

 

O movimento chama a atenção para a existência de diferentes tipos de pele, que devem ser aceitas e amadas - mas sobretudo, normalizadas. E esse é um desafio e tanto!

 

Em uma era repleta de estímulos que influenciam na construção da autoestima, fica difícil falar de autoaceitação. Mas, vale a pena tentar, não é mesmo?

 

Vale destacar que o #SkinPositivity não prega o abandono ao cuidado com a pele. Muito pelo contrário!

 

Ao incentivar que as pessoas aceitem e amem suas peles, independente de como elas sejam, a intenção é estimular também a busca pela saúde - baseada no autoamor e no autocuidado, não na vergonha ou no ódio.

 

Nós, da Ana Hickmann Skincare, acreditamos que a autoaceitação é fundamental e torna o processo de autocuidado muito melhor, além de ser indispensável para o bem estar. Por isso, aqui vão algumas dicas para te ajudar a amar sua pele do jeitinho que ela é:

 

1.   Exerça a autocompaixão

Por mais que a gente não perceba, a influência de padrões inatingíveis de beleza faz com que, muitas vezes, sejamos muito críticas e duras com nós mesmas - apenas por ter uma pele real.

 

Desconstruir esse hábito é desafiador, mas necessário. Procurar ser mais gentil e compreensiva consigo mesma é um passo importante para ter uma relação melhor com a sua pele.

 

E claro, esse é um processo que, infelizmente, não acontece da noite para o dia. É necessário observar-se e, aos poucos, corrigir pequenos hábitos que prejudicam a si mesma.

 

Ao se olhar no espelho, por exemplo, ao invés de buscar ansiosamente pelas imperfeições da sua pele e julgá-las, tente caminhar na direção inversa: que tal se atentar aos pontos que você gosta e elogiá-los?

 

Você vai perceber que, ao praticar esse exercício diariamente, sua percepção sobre si mesma irá melhorar!

 

2.   Se possível, procure ajuda profissional

O processo de autoaceitação não é nada simples, muito menos fácil. Nesse caso, se for possível para você, buscar ajuda profissional é extremamente válido.

 

Isso tornará o caminho um tanto quanto mais fácil, pois um especialista te ajudará a acolher, entender e tratar suas inseguranças, construindo um lugar mais confortável e acolhedor para você mesma.

 

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, a terapia não é bem-vinda apenas em casos graves de saúde mental, como depressão e ansiedade.

 

Mas também é uma ferramenta muito poderosa na construção da autoestima, promovendo bem-estar e uma melhor qualidade de vida.

 

3.   Busque pessoas que sejam parecidas com você

A influência dos conteúdos que consumimos em nossa autoestima, em menor ou maior escala, é inegável!

 

Seja nos filmes, séries ou redes sociais, é comum nos depararmos com imagens que, muitas vezes, nos fazem questionar nossa beleza. Você já parou para pensar nisso?

 

Apesar de comum, não deveria ser normal sentir-se triste ou insuficiente após consumir um conteúdo.

 

Por isso, a dica é prestar atenção no tipo de imagem que você anda consumindo e refletir sobre os impactos que essas imagens causam na sua autoestima. Filtre aquilo que você assiste, ouve ou lê.

 

Além disso, vale destacar o quanto a representatividade pode ajudar nesse processo.

 

Seguir e consumir conteúdo de pessoas com peles parecidas com a sua, por exemplo, pode te ajudar a enxergar essa característica de uma outra maneira.

 

É justamente nisso que consiste o movimento skin positivity: naturalização e identificação entre pessoas que compartilham de peles e inseguranças parecidas.

 

Então, se eu fosse você, já pegaria o celular e daria uma olhada nos conteúdos dentro desse movimento! Busque pela #skinpositivity e dê uma olhada nas milhares de publicações.

 

4.   Entenda que peles imperfeitas existem (e tá tudo bem)

É normal que, ao longo da vida, tenhamos colocado a “pele de veludo” em um pedestal e a transformado em um objetivo - ainda que inatingível em alguns casos. Portanto, um passo importante para autoaceitação da sua pele, é repensar esse padrão.

 

Naturalizar, aqui, é uma palavra de ordem. Peles “imperfeitas”, diferentes e reais existem, por diversos fatores (inclusive biológicos), e tá tudo bem. Todas as peles devem ser aceitas, amadas e cuidadas.

 

Mais uma vez, vale destacar que o processo pode ser lento. Afinal, são anos e anos para que você construísse os conceitos acerca da beleza que possui hoje: trabalhar isso não é tão fácil. Porém, você consegue!

 

5.   Tenha uma rotina de cuidados

E por falar em cuidar, essa também é uma dica muito valiosa!

 

Como já falamos aqui, a intenção do Skin Positivity não é abandonar os cuidados com a pele ou abrir mão da saúde.

 

Por isso, prestar atenção nas necessidades da sua pele e cuidar dela pode ser um caminho para enxergá-la sob um outro ponto de vista, com mais carinho.

 

Um momento de skincare, por exemplo, é uma oportunidade de se conectar consigo.

 

Afinal, sua pele (assim como seu corpo) é sua casa, e cuidar dela deve ser uma questão de amor e respeito.

 

Para isso, você pode contar sempre com a Ana Hickmann Skincare!

 

 

Palavras-chave: pele, aceitação, cuidado.